Tuesday, February 5, 2008

Sweeney Todd: The Demon Barber of Fleet Street

Como confessa fã de Tim Burton, talvez as minhas palavras venham envoltas numa teia de lisonja suspeita... Bem, mas a verdade é que sou uma confessa fã exigente e tenho torcido vagamente o nariz a todas as obras burtonianas desde Sleepy Hollow, embora em quase todos os filmes posteriores a este se tenha visto uma outra cena de tal delícia que só poderia mesmo sair da cabeça do meu Tim!

Mas introduções de posts à parte, convenhamos que, depois de ter visto a GENIAL adaptação do musical da Broadway para o nosso português no Teatro Aberto, estava um pouco renitente quanto a este Sweeney Todd cinematográfico. Mesmo vindo do Burton. Pois, porque os últimos filmes dele e tal...

Nada temam! Sweeney Todd é um musical, sim senhora, mas é um pedaço de cinema de aquecer o coração!

Resumindo a história sem fazer grandes spoilers, Sweeney Todd é um barbeiro que regressa a Londres na companhia do marinheiro Anthony Hope, depois de ter sido separado da sua mulher e filha e injustamente exilado durante 15 anos. Vem com desejos de se vingar de Judge Turpin, o culpado da sua desgraça. Vai até ao seu antigo local de trabalho, em Fleet Street, onde (re)encontra Mrs. Lovett e ali começa a primeira onda de serial killing da História dos musicais! Aqui ficam os mórbido-macabro-maravilhosos opening credits...



Johnny Depp está um primor no seu primeiro papel integralmente cantante. Não acho que cante assim tão bem, mas tem alma e tem uma voz viciante, que cai às mil maravilhas nuns quantos versos. Helena Bonham Carter está divinal... A sério que sim. Adorei a sua Mrs. Lovett! Deu-lhe uma paixão, uma motivação... Nasceu para este papel! Damn you, stupid Oscar Academy! E também canta ali que sim senhor! Gostei! E depois temos Alan Rickman, que é mais um na galeria de homens feios com quem eu até marchava. No papel asqueroso de Judge Turpin, não aparece muito, mas está fabuloso nas cenas que tem!

Ainda temos o puto Toby que é um fofo (e adoro-o a cantar!) e Johanna, a filha de Todd, que canta uma das minhas músicas preferidas do filme, vá-se lá saber porque gosto tanto da canção... Ah, e a voz do Jamie Campbell Bower, o marinheiro, derrete-me que pareço uma parva.

E pronto, apresentados os personagens. Já referi a magnífica atmosfera do filme? Aquela Londres semi-gótica, a fazer lembrar a caracterização muito sui generis de Gotham City nos Batmen burtonianos. A semi-ausência de cor (imagem dessaturada, dizem os profissionais), a excelência do manuseamento do 3D... Um mais uma vez excelente trabalho de Colleen Atwood no Guarda-Roupa - e mais uma nomeação para os Óscares. Tudo é um desfile da qualidade que nos faz lembrar porque o cinema é a 7ª Arte.

E também é sempre bom ver que Tim Burton, afinal, ainda sabe o que faz.


Ponham lá os pézinhos a caminho do cinema mais próximo, vá.

MJNuts

11 comments:

Nia said...

"Alan Rickman, que é mais um na galeria de homens feios com quem eu até marchava." lolada

já marchavas era o Tim, tal a adoração! ;)

hj fui ver Into The Wild... digamos k o protagonista Emile Hirsh tb marchava! lol

Saudações cinéfilas ;)
Nia

Nia said...

Ah! e o Alan Rickman deve ser dos melhores actores do mundo. Tudo o k faz não é bom, é soberbo. Mesmo naquele filme horroroso chamado Love Actually... ;)

Morcegos no Sótão said...

O Tim é um homem feio que não marchava, apesar da minha predilecção pelo senhor...=P

Já o Alan Rickman tem star quality!x) E eu até gostei do Love Actually!lol

MJNuts

Uma Pessoa said...

o Alan Rickman com aquele olharzinho de esguelha.. aquele pausar cuidado entre silabas.. aahhh orgásmico :P

mas sinceramente.. Gay For Johnny Depp all the way!! :D

realmente.. é tão bom o Burton ter voltado a fazer algo decente..
decente é pouco.. foi maravilhoso! tou apaixonado por este filme!

Depp, Helena, Rickman e Burton.. que é que há melhor?

e continuo a achar que o Timothy Spall ou lá como é, tava ainda mais repugnante que o costume! faz sempre a mesma personagem mas desta vez teve algo mais!

there's no fecking place like dirty dark bloody London! love it to death!

Morcegos no Sótão said...

Ah, o Timothy Spall... Até me esqueci dele!xD O homem assusta-me, pah! Mas sim, desta vez estava mais repugnante, deve ser por causa da insistência do Beadle com a aparência e os truques para se ficar mais bonito quando ele, enfim... Not a pretty sight!xD Este muito bem!

Estou viciadérrima na banda sonora disto!

MJNuts

Ana Rita said...

É bom, é bom, é muito bom =P Vivam os musicais... e este tem uma musicalidade fora de serie... os ritmos irregulares e agudos tipo psyco "tan tan tan"... Lindo... =)

Guess said...

Sweeney Todd, ele é o Sweeney.
Olh'ó Todd, mas que Sweeney.
Sweeney Todd, ele é muito Todd...!

xD

Não deixo de preferir o final do Sweeney Todd que passou no Teatro Aberto e aquele sonzinho estritamente agudo que as cordas faziam sempre que ele degolava alguém! =D

Morcegos no Sótão said...

Subscrevo as tuas opiniões sobre o assunto, Guess! ;P

MJNuts

Lymantria said...

Filme, fantástico! Adorei... uma verdadeira lufada de ar fresco sobre aquilo que estamos habituados a ver no cinema, ou seja, sempre mais do mesmo! A alteração de cores nas cenas, e sempre a mesma expressão de Todd. Fantástico! Só tive o infeliz azar de atrás de mim estarem um bando de adolescentes incultos, que pensavam k iam ver um filme tipo SAW, ou algo do estilo! O comentário mais comum era: Quando é k acabam de cantar?! Sugere-se a essas personagens saber mais do filme para além de que vai haver sangue e mortes...

Rute said...

Oi.
Que bom, mais fãs do Tim Burton xD
Estou muito curiosa por ver Sweeney Todd, provavelmente será mais uma grande obra do cinema, ainda por cima com um actor de adoro Johnny Deep ;)

Nia said...

Voltando ao nosso Alan Rickman, viste o Dogma? Que brutalidade `tan´ grande...

;)