Monday, February 25, 2008

Noite de Óscares (80ª Edição)

Mais um ano, mais uma cerimónia. A 80ª cerimónia dos Óscares decorreu ontem à noite exclusivamente na TVI. Normalmente, quando associamos Óscares e TVI o resultado que dá é o pavor aos comentários terríveis e inoportunos dos comentadores. No entanto, este ano parece que lá foram mais prudentes e, do pouco que falaram, não foi de todo absurdo e evitaram falar por cima do apresentador (yey!).

Não reparei de todo nos vestidos. A Nicole Kidman estava com um vestido preto elegante mas com um colar que mais valia ter ficado em casa. A Reneé estava com um corte de cabelo tão estranhamente curto que não consegui sequer reparar no vestido que trazia! O nosso querido Viggo Mortensen estava super charmoso e o Johnny Depp estava com os óculos circulares e um bigode discreto (engraçado!). Havia umas quantas mulheres grávidas (decidiu tudo ter filhos assim muito de repente, vá-se lá saber porquê) e, portanto, havia imensos vestidos que favoreciam as barrigas redondas das actrizes.

Devo confessar que não vi todos os filmes premiados (até porque uns nem estrearam), mas vi o suficiente para ter os meus preferidos. Portanto, aqui vai a lista dos vencedores mais importantes com alguns comentários adicionais:


Melhor Filme - No Country For Old Men parece ter agradado à Academia por uma razão que desconheço. Não vi o filme e não estou muito tentado a vê-lo (parece-me repleto de personagens aborrecidas). Oh well, pode ser que me surpreenda.

Melhor Realizador - mais uma vez, No Country For Old Men dos irmãos Coen.

Melhor Actor - Daniel Day-Lewis em There Will Be Blood (só esperemos que o Johnny Depp não estivesse à espera que fosse desta com o Sweeney Todd. Terrivelmente vingativo, não haja dúvida, mas não o suficiente).

Melhor Actriz - Marion Cotillard pela sua, aparentemente, brilhante interpretação de Édith Piaf em La Vie En Rose (desejando que o filme chegue a Portugal). A Ellen Page no papel de Juno, no filme com o mesmo nome, estava excelente, mas acredito que Marion Cotillard tenha merecido.

Melhor Actor Secundário - Javier Bardem em No Country For Old Men, onde o seu papel, pelo pouco que tinha visto, me parecia mais principal que secundário. Aqui, o meu ódio pelo filme veio a agravar-se por ter roubado o óscar desta categoria ao Casey Affleck que estava genial n' O Assassinato de Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford.

Melhor Actriz Secundária - Tilda Swinton em Michael Clayton. Gosto muito da mulher, mas gostava que tivesse ganho a Cate Blanchett. Pelo que dizem, é a melhor interpretação do Bob Dylan no filme I'm Not There.

Melhor Argumento Original - Juno (yey!)

Melhor Argumento Adaptado - No Country For Old Men, o grande vencedor da noite.

Melhor Animação - Ratatouille (não o achei assim nada de especial. Não percebi porque fizeram tanta conversa à volta do filme. Ouvi ainda alguém dizer que poderia ser um dos próximos clássicos da Disney! Yeah, right.)

Melhor Filme Estrangeiro - The Counterfeiters(uma perfeita estupidez O Escafandro e a Borboleta não ter sido sequer nomeado!).

E pronto. Sweeney Todd ganhou apenas o óscar de Melhor Direcção Artísica. O Atonement ganhou a Melhor Banda Sonora e aproveito desde já para mostrar o meu descontentamento pelo facto de o Into The Wild não ter sido sequer nomeado para os Óscares na categoria de Melhor Música Original, tendo-se ficado apenas por uma nomeação nos Globos de Ouro (e com tantos grandes temas que o filme tem).

Mais uma coisa: achei que a categoria do Melhor Guarda-Roupa este ano apresentava uns nomeados bastante promissores. Ao que parece, dinheiro não falta para apostar em força nesta área! Ora aqui estão os nomeados:

Across The Universe,
Atonement,
Elizabeth,
La Vie En Rose,
Sweeney Todd


Despeço-me com uma apresentação que a Academia preparou que anuncia todos os vencedores da categoria de Melhor Filme em todas as 79 edições:



Guess

2 comments:

Giovanna said...

La Vie en Rose estreou em Portugal ainda em 2007, por alturas do verão. O título original é «La Môme». Já comecei a ver o dvd à venda na Fnac, não deve demorar muito até estar disponível para aluguer.
Portanto agora tenta lá ver aquilo e verifica por ti mesmo se a moça está ou não genial no papel. Não sei se merece o prémio, não vi as outras actrizes nomeadas, e suspeito que a minha admiração pela Cotillard tem a ver com a minha própria admiração pela Piaf e pela equipa de caracterização do filme; mas por muito tendenciosa que a Academia seja, podemos concluir que se uma francesa um tanto desconhecida ganha o Óscar, é porque é mesmo boa?

Anonymous said...

Marion Cotillard é bem ganho... A velha senil é uma seca de filme e sem paixão na actuação...
A Tilda Swinton limpou aquilo porque apesar da Cate ter sido o melhor Bob Dylan... não foi a melhor actriz secundária (a Tilda quando aparece rouba o ecrã ao George Clooney, o que diz mt da qualidade do papel).
O Scaphandre não foi nomeado porque este ano houve 3 grandes filmes franceses (persepolis, scaphandre e la vie en rose) que tinham garantido um lugar nos óscares, mas não fizeram a entrada para a pré-selecção a tempo e sofreram com a política de "descentralização" do cinema na europa.
O Barden partiu aquilo td... o filme não é de facto o melhor do ano (o TWBB, o Scaphandre ou mm o Michael Clayton são melhores) mas a actuação dele está melhor do que o jack nicholson no shinning!
O Ratatouille ganhou porque de facto é a melhor animação do ano... Surf's Up? Persepolis (apesar de um muito bom filme... tem dedo político por isso é intocável na animação)? Então tornou-se óbvia a escolha.
O The Counterfeiters é uma seca descomunal... mais um desperdício de bom dinheiro num filme sobre o holocausto (não terão morrido já Judeus de mais? É que são os 6 milhões de há 60 anos mais os que estão constantemente a "morrer" nos filmes!)
O Into the Wild, tal como o TWBB não podia ter a banda sonóra escolhida porque apesar de geniais e de super-aclamadas pela crítica, ambas têm pelo menos 1a música que não é original. Também não ajudou ter o Eddie Vedder (um super apologista do anti-estabelecimento) como cantor e compositor lá pelo meio...