Saturday, February 3, 2007

Eu sou Amante de Gatos... e Tenho Muito Orgulho Nisso!

Eu desconfio sempre quando vejo algo ou alguém com o substantivo "etiqueta" a si associado. Veja-se o caso da assustadora Paula Bobone, que pelos vistos escreveu livros com os expoentes máximos nacionais sobre o assunto. Livros onde se liam coisas como: À mesa não se deve falar sobre política, futebol, relações e assuntos culturais. Parece que, segundo esta senhora, estamos todos condenados a falar sobre a meteorologia durante as refeições ou acabamos invariavelmente vítimas de indigestão.

Hoje, durante a minha leitura fim-de-semanal dos jornais que apetece ao papá comprar, havia uma novidade: o semanário SOL, que nunca por cá tinha visto. Lá o folheei e li as coisas que me interessavam.

De repente, deparei-me com um artigo que tinha como título O Insuportável Gato. Como dona de uma gatinha adorável que sou, resolvi dar uma olhadela. O artigo estava incluído numa secção denominada Consultório de Etiqueta, de uma provável especialista no assunto chamada Assunção Cabral. Logo vi que dali só podia vir boa coisa...

Ao que parece, uma senhora estava aterrorizada porque tinha sido convidada para um jantar na casa de uns colegas do marido que tinham gatos e ela tem fobia a tais felinos. Tudo muito bem. Há quem não goste de cães. Há quem não goste de hamsters. Todos temos o direito a gostar ou não gostar de dado bicho. Nada contra a simpática senhora com fobia a gatos.

Agora a resposta da excelentíssima Assunção Cabral... Digna de ser directamente enviada para uma escola primária reaprender boas maneiras!

Vamos estudar o assunto... A resposta começa por declarar que a tal senhora deve pedir aos anfitriões que tranquem os gatos. Até aí tudo vagamente normal. Depois...

"Os gatos são possidoníssimos. Quanto mais sofisticada for a raça, mais pirosos são os donos. Os animais, de resto, dividem-se entre os que me metem medo e os que detesto. A única simpatia que me merecem os cães - que também me metem medo e peço sempre que os prendam quando visito quem os tem - é pela obsessão com que perseguem os gatos."

Antes de mais, que é isso de possidoníssimos? Ainda bem que não percebi, ou a minha indignação era capaz de aumentar exponencialmente! Mas agora falar que a pirosice dos donos aumenta com a qualidade da raça dos gatos? Isto é coisa que se diga? É um juízo de valor de mau gosto e de péssimo sentido de oportunidade! Devo sentir-me diva da moda porque a minha gata é rafeira, é? Basta ler que para a senhora os animais são os que detesta ou os que lhe metem medo para vermos que tudo o que saia daquele cérebro não pode ser coisa boa! E pobres dos cães, reduzidos a essa infeliz característica que nem todos têm de perseguir gatos...

"Podemos estar calmamente sentadas a conversar e, de repente, sentimos nas pernas aquele calor peludo, absolutamente repelente, e reparamos que a pató da dona olha embevecida para o bichano, sem se preocupar em enxotá-lo. E nós, com vontade de lhe dar um pontapé, mas aterradas com a ideia de que o estupor do felino se assanhe."

Pensavam que aquilo lá em cima era o pior? Desenganem-se! Os gatos são pelos vistos traiçoeiros que quando se roçam nas pernas das pessoas são somente dignos de causar repulsa! Pior, somente dignos de receberem um pontapé! E os patós dos donos que olham embevecidos para o seu estupor de estimação...

"E é uma mentira dizer que os gatos são asseados: cheiram a gato e espalham um insuportável cheiro pela casa - coisa que a tonta da dona nunca percebe, porque se habituou à sordidez do ambiente. Mas o cheiro acaba por se pegar à roupa e à pele - é nojento."

Os gatos, contra todas as palavras de especialistas no assunto, são uns porcos. Nem passam grande parte do seu dia a lavarem-se com a sua língua especializada nisso mesmo. Estávamos todos enganados! Os gatos são apenas uma mutação de leitões que saíram da pocilga e se instalaram nos apartamentos de comuns mortais. Nojento, definitivamente. Os comuns mortais, tontos como são, jamais se poderiam aperceber do quão sórdida é a natureza felina.

"Por que não faz saber com antecedência ao colega do seu marido que ter gatos é definitivamente uma ordinarice indesculpável?"

Chegamos ao expoente máximo! Eu sou uma ordinária sem perdão! A maior parte dos meus melhores amigos partilham essa característica comigo! Esqueçam isso do amor aos animais e do livre arbítrio de gostar do que nos apetece. É um pecado digno de Inferno gostar de gatos e, gravíssimo!, ter um em casa... Indesculpável. Encontro-me tão abalada com a minha falha perante Deus que os meus dedos se entorpecem enquanto escrevo...

Minha querida Assunção Cabral... Se isso é a sua noção de etiqueta, tenho muito orgulho em ser ordinária. E exibo a minha gata estuporada com toda a alegria de uma pató!

Alguém quer o contacto da senhora para mandar um mail de reclamação?

MJNuts (proud owner of Moony, a cat indeed)

16 comments:

Catarina said...

Essa senhora devia lamber gatos até morrer asfixiada com bolas de pêlo. Onde já que viu? LOL Quero o mail da senhora mas para a convidar para um jantar cá em casa eheh "Gatos, eu? Não, não tenho." (tenho é uma gata muhahahah) p.s. eu amo a minha kikas snifi

Morcegas no Sótão said...

Exactamente por adorar a minha gata é que me senti ofendida e irritada por coisas destas passarem para a impressão dos jornais!

O mail da senhora é assuncao.cabral@sol.pt caso alguém esteja interessado...lol

MJNuts

Ludovico said...

A mulher até pode ter as suas razões. Pode ter sido atacada pelo elenco do Cats ou alguma outra experiência traumatizante que a leve a gozar e a repudiar os gatos e os seus donos.

Qualquer o motivo, perdeu-o assim que saltou para o insulto.

Não conheço o artigo em questão mais do que foi aqui mostrado, nem sequer costumo ler a coluna. Mas pensava que boa educação fazia parte da etiqueta, ou pelo menos dos alicerces da boa convivência e do respeito da sociedade. Pelos vistos estou errado.

No mínimo, isto exige um pedido de desculpas formal na proximação tiragem...

K1111 said...

Então se calhar quanto escrevemos crónicas não precisamos de ser educados! Tenho de perguntar à sra Bobone... Que para além de dizer isso sobre assuntos à mesa diz uma outra pérola: mesmo que sejas alérgico a uma comida qualquer, deves sempre comer um cadinho, que é falta de educação recusar a comida dos outros! XD Morres de choque anafilático mas morres com educação e panache!
Eh pá eu cá tenho um cão... XD E começo a achar que Possidónio era um nome muito mais fixe que Chico!

CHESB

Morcegas no Sótão said...

Eu encontro-me indignada e o mais giro é que mesmo os não fãs de gatos acham que tal artigo foi um profundo desrespeito a qualquer leitor que se preze.

O conceito de etiqueta mudou muito nestes últimos tempos...

E essa sra Bobone bem que podia morrer do tal choque anafiláctico causado pela boa educação!xD

MJNuts

Ludovico said...

Não sejamos assim... pode ter tecido comentários de pura estúpidez, falta de respeito e de um caractér que é um eufemismo chamar insultuoso. Mas daí a desejar-lhe a morte...

To said...

Lembrem-se, os bichos têm 7 vidas. :P

Morcegas no Sótão said...

O que não implica que as passem a levar pontapés de gente fina... =P

adriana said...

não me recordo de nada que me tenha causado tal repulsa...esta arrogância disfarçada de boas maneiras, este desprezo pelo 'inferior' animal irracional (se bem que a senhora dona assunção não me parece ter grandes laivos de pensamento) fazem parte do pior do homem...

Tiago said...

Uma sociedade evoluída observa o respeito por humanos, animais e ambiente.

Cartasaodirector@sol.pt

Anonymous said...

Eu sou amante de gatos, sempre fui, toda a vida... Mas eu leio aquela coluna TODOS os sábados, sei bem como é, e para além de achar que aquilo nao saltou para o insulto, aquilo é uma coluna irónica e com graça. Suponho que nenhum de vocês tenha percebido a graça, e mais, suponho que nenhum de voces leia sequer a coluna. Talvez se trate de uma falta de personalidade vossa, que mal vos dizem para comentar qualquer coisa, sobre a qual apenas têm um conhecimento parcial o fazem de imediato. Não sei, o melhor é eu nao divagar, porque francamente não quero descer ao vosso nivel de comentar sem saber. Quanto aquela senhora engolir bolas de gato até morrer asfixiada, é rídiculo, e não demosntra amor aos gatos, mas sim fanatismo. é trsite hoje em dia esse tipo de pessoas nao estarem a ser tratadas em sitios convenientes.

Morcegas no Sótão said...

É um bocadinho triste deixar um comentário anónimo que critica não só o post em causa, como os leitores que o comentaram. Se nós revelamos falta de personalidade por falarmos de algo que desconhecemos (que não desconhecemos, o artigo é claro e a ironia vai até certo ponto), mais falta de personalidade e, ainda mais importante, falta de coragem e de carácter revela esse acto.

Se acha graça a 'piadas' sobre vontade de dar pontapés a gatos e afins pérolas do mau gosto aparentemente cómico e irónico, os meus parabéns. Eu não acho graça.

MJNuts

Morcegas no Sótão said...

Realmente, que falta de chá!

Eu só espero que os tais «amigos» da senhora não costumem ler esta rúbrica (ou coluna, ou whatever). Eu compreendo perfeitamente quando tenho em casa pessoas que detestam gatos, mas se me chamassem "pató" por ter um e não andar a arrojar-me no chão a pedir desculpas por ele se ter escapado... pah, enfia o decoro onde bem te apetece.
Além de que se ela estava a tentar ter graça e a ser irónica, não conseguiu. Ou só atingiu aqueles com um sentido de humor (dúbio, na minha opinião) muito peculiar. Sim, Sr/Sra Anónimo(a), isto foi para si. Pena que o seu elevado gosto por graçolas literárias não o tenham levado a perceber que não, não vamos fazer bonecas voodoo da Colunista nem queremos mesmo que ela morra engasgada com bolas de pêlo. É só um vago desejo. Até porque ela nem parece ser alérgica, ficava só mal-disposta. E seria muito mais irónico ela asfixiar num scone. O Destino também tem sentido de humor.

Mas, como já alguém dizia, as opiniões são como os buracos do cú - cada um tem o seu...

Atenciosamente,
Giovanna

Catarina said...

Não vejo o mal do fanatismo por gatos, desde que isso não perturbe ninguém. A senhora que escreveu tal artigo é que perturbou bastante. Perturbou e ofendeu. Talvez por o senhor anónimo ler todos os dias esse artigo é que deve precisar de tratamento.

Catarina said...

Jo uma grande venia para ti!! LOL

satbastet said...

Desde já, queria deixar os meus cumprimentos e felicitar-te pelo teu blog.
Realmente é triste depararmo-nos com conselhos destes nos jornais! Se por lado mostra a estupidez e falta de tacto de quem escreve, mostra, também, a preocupante mediocridade jornalística do país. Sem dúvida que a senhora tem todo o direito de não gostar de gatos, mas ao que parece, ela abomina qualquer tipo de “animal” à face terrestre, só deve ter mesmo paciência para um animal: ela mesma! LoL
Ao que parece “possidoníssimos” nem consta nos dicionários de português…