Monday, November 8, 2010

Before Sunrise+Before Sunset


A primeira vez que vi Before Sunrise, foi por puro acaso. Já lá vão eternidades. Olha o Ethan Hawke na televisão! Que será isto? Não fazia ideia ao que ia. Estavam dois jovens a falar num eléctrico e o que me fez ficar em vez de mudar de canal foi a conversa que já vos mostrei noutro post.

Entretanto, surgiu a sequela, Before Sunset. No já ido ano de 2004. Muito falei de ir ver o filme ao cinema e depois de o ver em casa, mas nunca aconteceu. Até que falei do Before Sunrise a um amigo, porque tinha tudo para ele gostar, e vimo-lo em conjunto. Adorei. Adorei a inocência da juventude, os sonhos, os impulsos. A coragem de sair de um comboio com um estranho. As deambulações por uma cidade que, naquele dia, só poderia ser perfeita. As conversas são magníficas. Verdadeiras. Recheadas de ideias loucas que fazem sentido na cabeça mas, quando expressas por palavras, parecem caóticas e confusas. Hesitantes, repletas daquelas expressões irritantes de que todos abusamos a falar (I mean, you know, like...) mas que simplesmente fazem parte do discurso falado.

O primeiro filme retrata um período inferior a 24 horas que, para aqueles dois jovens, foi extraordinário. O fim eminente marcou a intensidade da experiência. Entregaram-se, simplesmente. Sem medos. Viveram, não, sugaram a Vida de cada momento que partilharam.

Até ao instante em que tudo acabou e se deixou a promessa do reencontro.

Nove anos depois, temos Before Sunset. Como não podia deixar de ser, a preferência pelo primeiro é geral. Mas eu acho que, juntos, formam um todo melhor do que qualquer uma das partes separadas.

À inocência da juventude junta-se a experiência trazida pela idade. O desencanto. O desapego. Vemos o resultado das expectativas que deixaram de o ser. Os desencontros. A dor do ter de se contentar. Ou achar que se tem de o fazer.

E é curioso como ambos depositaram tanta esperança naquela uma noite, há nove anos atrás, e como tudo o que se seguiu foi pálido em comparação.

É uma bittersweetness que faz doer e sorrir. E identifico-me tanto com a Celine que o meu coração se parte em renovados pedaços.

Celine: I guess when you're young, you just believe there'll be many people with whom you'll connect with. Later in life, you realize it only happens a few times.
Jesse: And you can screw it up, you know, misconnect.


Jesse: I feel like if someone were to touch me, I'd dissolve into molecules.

MJNuts

Às vezes, gosto de crescer. Outras vezes, isso só me faz pensar que estou num comboio só de ida para a solidão.

8 comments:

Nia said...

E eu que gostei tabto do 2º, Before Sunset, e nem por isso do 1º... espectávulo não é?! ;)

PP said...

Vi primeiro o Before sunset e talvez por isso ou não ficou o meu preferido dos dois!!
Sinceramente acho que tem a ver também pela fase que estás a passar no momento e naquilo que já te aconteceu... Eu cm tive o meu before sunrise sem lhe ter dado valor na altura, o before susnet estava perfeito para mim! Fora a ideia de salvar o Mundo sinto que podia totalmente ser a Celine do 2º filme! Ah e adoro o fim do before sunset (e a música!)!!
Escrevi uns posts sobre isso em fevereiro passado!

Beijinho!

PP said...

Ah as quotes q escolheste do before sunset são sem duvida as melhores! ;)

Morcegos no Sótão said...

Eu adorei o 2º e não consigo escolher um preferido entre os dois... Acho que juntos fazem imenso sentido, é como me fazem sentido a mim. Prefiro experienciá-los assim.

@PP Lembro-me de ler esses posts. Foi outra das vezes em que pensei "tenho de ver/rever isto". ;)

MJNuts

Beatrix Kiddo said...

é. toda a gente cai por esse filme...tb gostei muito

Nia said...

Ai o caneco das teclas, sempre a mudar de posição ;)

André said...

Adoro! Os dois e a ti :D

Morcegos no Sótão said...

"Can’t say what’s worse, getting older or getting wiser."

Lili