Thursday, October 16, 2008

Horizonte

Desde há dias que sinto uma inquietação em mim... Não é nada de especial, mas incomoda.

É uma insatisfação latente. Uma impaciência. Nada é suficiente. Algo me foge por entre os dedos.

"I wish I knew how to fly... Fly away... From my life, from myself... Until I disappear..."

A comida já não sabe assim tão bem. Não apetece comer. Nem sei o que comer.

Levantar de manhã não custa, porque já há muito os olhos abriram sem o despertador ter tocado. Há um arrastar de gestos matinais rumo ao mesmo destino. Todos os dias.

As conversas são agradáveis. Amainam o espírito inquieto. As pessoas ocupam a mente de outra forma distraída. Mas os olhos às vezes perdem-se, focam-se num horizonte nunca atingido.

“Satã, assim relegado para uma condição vagabunda, errante, instável, não tem paradeiro certo; pois embora possua, em consequência da sua natureza angélica, uma espécie de império sobre os desertos líquidos e os ares, faz certamente parte do seu castigo que ele não disponha... de qualquer lugar ou espaço fixo onde descanse a planta dos pés.”

Não consigo descansar. Não consigo contentar-me. Mas ainda não estou preparada.


"Tu és solta e viva e vadia e gostas de tudo e não gostas de nada... Passas e deixas aquele ar fresquinho, mas não tarda nada já foste para outra."

MJNuts

Obrigada pelos teus braços que me apertam e pelos teus olhos que me sorriem... Serenidade.

2 comments:

giovanna said...

eu forneço o carro e tu a gasolina...?

Guess said...

I have to drive...