Monday, April 26, 2010

Super-Poderes

Um dia destes, uma criança pediu-me para a ajudar a puxar o Calippo para cima. Ela já tinha as mãos frias e rolava o gelado nas mãos. Rodava, rodava e o gelo permanecia no mesmo sítio.

Peguei no Calippo que ela me estendia de mãozinha esticada, tantos centímetros abaixo do meu rosto. Apertei o gelado, aqueci a embalagem. Momentos depois, o gelado verde já espreitava, pronto a ser comido.

Sorri-lhe, baixei a mão de encontro à dela e ela agradeceu.

Lembrei-me, nitidamente, de quando era criança e achava a minha mãe invencível por me conseguir abrir os gelados como se nada fosse. Gosto de ainda conseguir sentir que abrir um gelado é um super-poder.

MJNuts

3 comments:

Blaze said...

Esses pequenos detalhes que aos olhos de crianças parecem super-poderes, mas que no fundo são coisas normalíssimas. É a "magia" que conta e é essa magia que temos de passar aos que aí vêm.
Sem poderes, as crianças não sonhavam.

Luís Bernardino said...

Como quem normalmente me comprava calipos era a minha avó (quando ia-mos à praia) e ela, coitada, já não tinha grande força nos dedos, por isso era eu que me tinha de desenrascar. Como? Partia o calipo ao meio.

Ricardo Pinto said...

Como é dito no primeiro comentário, é essa magia que deve ser passada para as gerações seguintes. Acho que hoje em dia já desapareceu muita da magia de antigamente. Mas não sou saudosista, agora há outro tipo de magias:)