Tuesday, January 4, 2011

Senão possibilidade

Lembras-te quando combinámos olhar todas as noites para o céu, naquela mesma hora? Aí, mesmo na distância, haveria sempre a hipótese de numa dessas noites sincronizarmos os nossos olhares na mesma estrela. Talvez a mais brilhante, talvez a maior, talvez a mais tímida. Pouco interessava senão a possibilidade. E quando isso acontecesse, e apesar de nenhum de nós o poder saber, nem em alma nem em corpo, o universo sabê-lo-ia. A estrela sabê-lo-ia. E não seria a beleza ou o brilho dela o alvo do nosso olhar naquele momento, mas sim o reflexo dos olhos de ambos. Ela seria não mais que um espelho do nosso amor. Peneirenta, seria usada.

Somos parte do Universo, amor.
Sabemos.

Lili

2 comments:

skinworld said...

Olá! Postei este seu texto no meu blog! Ele diz-me muito, e lê-lo foi cruzar sobre as minhas emoções. Adorei! Obrigado. Hélder

http://phelder.wordpress.com/2011/01/29/tudo-tretas-pah/

Morcegos no Sótão said...

Obrigado eu! Fico sempre feliz de tocar alguém com o que escrevo.
Agradecia era que colocasses o link directo para aqui algures no teu post.

Lili