Saturday, June 27, 2009

Por Ti Faço o Jeito, Majestade

Não sei se deram por isso, mas este é o meu post n.º 100. Não que isso seja motivo de orgulho, considerando que o Tretas tem quase 3 anos de idade, mas 100 é sempre um número redondo que se gosta de festejar. E bem, eu queria festejá-lo com um post ridículo e repleto de tretas, provavelmente a partilhar um manual de instruções da máquina de incoerência que sou eu.

Mas o Michael Jackson morreu. E o Michael Jackson foi um artista que me acompanhou ao longo da vida. Como fã, desde os 11/12 anos. Não sou fã acérrima nem nada que se pareça, mas vos digo aqui que era o único artista no Mundo por quem eu seria capaz de dar mais de 40€ para ver em concerto. Dito isto, é curioso que o único artista por quem eu faria tal coisa, seja também o único capaz de fazer esgotar 50 datas de concertos na mesma cidade. Será que tu também lá chegavas, Madonna?

Não me vou perder em considerações pessoais do que o homem fez ou deixou de fazer, do quão estranho ou solitário era. Para mim, o que interessa é a música. E confesso que a minha tendência foi sempre acreditar no Michael Jackson, por isso não quero entrar em debates filosóficos sobre os momentos chocantes da vida dele.

Celebremos a música.

A 1ª que ouvi dele foi a Earth Song. Devia ter os meus 8 anos, estava no carro a caminho do Alentejo, era de noite e lembro-me como se fosse hoje. Os "ah ah ahhhh" penetraram-me o cérebro e por lá ficaram, a habitar as profundezas, ao ponto de eu nas noites que se seguiram, ao deitar-me, fechar os olhos e ouvir claramente aquela voz, ainda desconhecida, na minha cabeça. Ao ponto de, alguns anos mais tarde, reconhecer aqueles "ah ah ahhhh" vindos de uma televisão e conhecer, finalmente, o Michael Jackson.



Esta é, ainda hoje, uma das minhas músicas preferidas dele. E um dos meus videoclips preferidos de sempre, por ter um tema que me toca tão profundamente.

Mas há muita música do Michael que adoro e há que convir que os videoclips dele eram tão obras-primas como os respectivos singles. Mantendo a temática da Terra, há o so-very-sweet Heal the World, que não me diz tanto, mas que me faz sorrir. Tentaste, Michael, eu sei que sim.




Eu tenho um guilty pleasure Jacksoniano que não sei se é partilhado por muita gente, mas aqui vos ofereço um pouco da minha sensação agridoce de amor por Who Is It. Adoro a música, mas não percebo. Quem te magoou, Michael? E o videoclip é, na minha opinião, estrondoso.



Há duas outras que me são bastante pessoais. Have You Seen My Childhood? e Stranger in Moscow. A primeira porque eu sou, declaradamente, uma pessoa que não fez muito bem a passagem para a idade adulta (e porque me diagnosticariam com Síndrome de Peter Pan?). Ando para aqui num limbo estúpido. A segunda porque se encaixa demasiado bem em tantos momentos de solidão e dúvidas existenciais.



Escusado será dizer que ambos os vídeos são fabulosos. Fly to Neverland, kids! E o clip de Stranger in Moscow na altura foi pioneiro em algumas das técnicas utilizadas.




É verdade, sim. A maior parte das pessoas elogia o Michael Jackson pelos seus hits (muito) antigos, mas eu sou moça de apreciar a glória do Michael dos 90. Obviamente que adoro uma quantidade imensa de singles dos primórdios!

Tipo este:




Também sou bastante aficcionada deste aqui:




E adoooooro esta:




E podíamos continuar noite dentro comigo a destilar oldies preferidos do Michael. Mas eu realmente sou moça dos 90s, foi neles que cresci, e quero dar-vos overdose disso. Antes de enveredarmos pelos excelentes singles com maravilhosos clips que todos achamos de génio, só uma pequena nota para dizer que uma das minhas músicas preferidas do Michael nem sequer é single e passou ao lado de muita gente. Mas vale a pena: Little Susie. Arrepiante.

Listemos os restantes pedaços de Deus que caíram sobre o Michael:

1. In the Closet (sou só eu que acho esta música imensamente sexy?)



2. They Don't Care About Us (esta música, e ambas as versões do seu videoclip, são absolutamente avassaladoras! e estou a ficar sem adjectivos, estou...)


Já agora, a outra versão está aqui.

3. Cry (esta tecnicamente é dos 2000, mas que importa?)




4. Scream (olhem-me só o videozão que isto tem, pah! e os irmãos! eles davam-se!)



5. You Are Not Alone (só porque é tão fofa e romântica e...)




Estou nostálgica... Michael Jackson é daqueles artistas para lá de pessoa: é ícone, é mito. Não é suposto morrer... E morreste-me, Michael?

Despeço-me de ti com a música tua que me faz chorar...



You are not dead, you just went missing for a while. You will be there, won't you?

MJNuts

6 comments:

Pintas nos Olhos said...

Twin não era suposto morrer mesmo....Tenho andado tristinha nestes dias e sempre a pensar nele e como isto não é mesmo possível, é quase irreal. Também era para mim o único artista no mundo pelo o qual pagaria balúrdios por um bilhete e pelo qual ficaria a dormir à porta da bilheteira.

Apesar de ser da geração 90 tal como tu, a minha musica preferida dele é um oldie: Billie Jean, é de génio, a letra o som, o clip. Beat It também está lá no top. E mais? Dirty Diana, Earth Song, Ain't no Sunshine (que a versão orginal é dele com os irmãos, ainda puto), Smooth Criminal, Black or White (um dos meus clips preferidos).
Bad, foi a primeira música e clip que me lembro de ter visto dele, tava a dar na televisão, e a minha irmã perguntou á minha mãe, quem era aquela senhora que dançava muito bem? lol A minha respondeu que não era uma mulher mas sim um homem e que era o Michael Jackson, by the way a minha mãe foi ao tal único concerto que ele deu em Portugal!!! Que é precisamente o Michael Jackson com o qual me identifico, aquele que verdadeiramente conheço é o dos tempo de Dangerous e da consequente tournée. Nessa altura apesar de já ser branco ainda estava bastante normal e humano, o branco era saudável e real. E as danças... meu deus as danças!!! Para mim Michael Jackson muito par além das músicas era a dança. Fã total, sou capaz de ficar um dia inteiro a vê-lo dançar, ou alguém a dançar à Michael Jackson, com a roupa mítica da camisa branca, calça curta "tipo fato de treino", preta com riscas brancas, o sapatinho e meia branca á vista (imagem de marca dele registada, atenção!) E claro a luva e o chapéu.

De resto, o clip de Thriller é também daquelas coisas que por mais vezes que já tenha visto, quando está a dar paro para o ver de novo.

Confeso que não conhecia a Who is it, nem o Litle Susie, Tive a ouvir, a primeira é fixe e o clip também. A segunda, muito boa e bonita, passará certamente a fazer parte da minha playlist.

A ultima música que puseste também me emociona bastante, gosto muito desse clip:


"I'll never let you part
For you're always in my heart"





PS: "confesso que a minha tendência foi sempre acreditar no Michael Jackson"----> eu também. Ainda bem que este foi o 100º post.

Morcegos no Sótão said...

Twin...=( Nunca tinha ficado triste com a morte de uma celebridade, mas não consigo deixar de pensar que o Michael faz falta, apesar das eternidades de ausência. E claro que é impossível não pensar no vazio que ficou...

Eu também adoro a Dirty Diana e apesar de não ligar muito ao Thriller enquanto música, é claro que adoro o clip! Até o menos bom do Michael Jackson era infinitamente melhor que 90% da pop actual...

I can't believe he's gone... :(

MJNuts

Pindérica said...

Pa mim falta masé o "you rock my world" sempre achei que era das tuas favoritas... Sinceramente, nao me podia tar mais a borrifar pa morte do senhor, não é como se ele ainda fosse produtivo. No entanto, ninguem lhe tira o que foi, e ele foi genial e inovador em muitas areas.

Guess said...

Creio eu que a primeira música que ouvi dele também foi a Earth Song. Reconheço sempre aquele início, com o som dos grilos e de uma noite mágica a aproximar-se. Arrepiava-me, apesar de não perceber do que tratava a música quando era pequeno. O meu irmão e eu cantávamos imensas vezes a canção no carro. Adorávamos a parte do 'what about us?' :)

Há alguns anos (não há muitos) descobri a Little Susie. Achei que era conhecida, até. São estas duas as minhas predilectas dele. Têm um cadeirão no meu coração. Também adoro o início da Little Susie, btw.

Realmente, não conhecia a maioria destes video-clips. Mas lembro-me de achar imensa piada ao vídeo da Cry, de estar tudo de mão dada pelo mundo fora.

E, claro, a minha 'You Are Not Alone'. Eu não sou doido pela música. Nem gosto assim tanto dela. Mas o homem sobe tantas vezes de tom ao longo da música, que eu adoro ir sempre subindo de tom p'ra ver até onde é que os meus agudos chegam. xD

Mas só queria dizer que, na verdade, eu sempre fui bastante indiferente à morte de celebridades. Reconheço o seu trabalho e a perda que é, mas, pessoalmente, nunca me afectou. Com o Michael Jackson aconteceu o mesmo. Mas não vou tão longe como a Pindéria. Não me estou a borrifar p'rá morte do senhor. Na verdade, no outro dia, estive a ver aquele documentário dele, na sic, e comecei a sentir uma certa pena do senhor. Sim, ele era um homem que se sentia sozinho, que tinha problemas, que nunca chegou a ser verdadeiramente feliz e que foi alvo de grandes injustiças. Não sei se acredito nele. Mas custa-me achar que ele fosse capaz de concretizar as ditas acusações. Mas são histórias que não importam para aqui. A verdade é que fiquei com pena dele.

A dada altura, no documentário, estavam a passar várias entrevistas com ele e perguntaram-lhe: "em que alturas se sente mais sozinho?" e o Michael respondeu que era quando estava nos quartos de hotel e estavam milhões de fãs lá fora a gritar por ele e que, apesar disso, ele começava a chorar e chegava a ser insuportável e sentia-se numa solidão imensa. Fiquei petreficado com a imagem.

40 euros, Maria? O que eu sei é que já te ouvi dizer que pagavas até 100 euros p'ra ver o Michael Jackson. Ou terá sido p'ra ver os Queen? Bem, agora já não sei.

Blaze said...

MJ will live on, apesar de não acreditar que esteja morto. Mais no meu blog.

Pintas nos Olhos said...

Diga-mos que 40 euros nem é assim tanto quanto isso. Para este tio de concertos e músicos 40 euros seria muito muito barato lol