Thursday, October 25, 2007

Como Sair Sempre Por Cima Numa Discussão

Parto do princípio que discutir é inerente a todos os seres humanos falantes. Por falantes, entendam-se várias línguas e linguagens, mesmo as silenciosas.

Não digo discutir estilo decibéis de fazer corar os Metallica com ameaçar de arremesso dos objectos mais próximos. Também pode ser, mas estava a referir-me às discussões mais comuns. Sei lá, dois amigos, um benfiquista e outro sportinguista. Ou duas pessoas a discutirem sobre quem agiu mal ou quem teve a culpa do quê. Coisas assim do género. Triviais, dia-a-dia.

Pois bem, como acontece a todos nós, há dias em que estamos muito eloquentes. Há outros que nem por isso. E depois também depende do "adversário" da discussão. Se tiver muitas cartas na manga, estamos tramados. Por cartas na manga, entenda-se: domínio das falácias da argumentação. Ui, são os que tagarelam melhor, nunca têm razão, mas a gente já nem diz nada só para ver se eles se calam.

Mas adiante. A verdade é que as discussões fazem parte das nossas vidinhas. Se por acaso algum dia acharem que têm razão, mas o fluir da coisa não está a correr a vosso favor, ou simplesmente quiserem que o outro lado da peixeirada feche a matraca, aqui ficam umas dicas que podem usar.

Juro que resulta se conseguirem manter uma expressão irritantemente séria.

1. Portanto está a haver uma discussão assim a dar para o acesa e quando dão por vocês, o tom de voz em acção é mais elevado do que seria recomendável. Se gostam de conversas normais, se evitam berros estridentes e histéricos... Com certeza o panorama actual da discussão não vos está a agradar. Nada mais simples. Páram por momentos e fixam a outra pessoa nos olhos. Quando encontrarem uma aberta, sussurram em grande estilo: "Porque estás a falar tão alto?". É provável que não vos percebam à primeira, mas podem repetir, não corta muito o efeito. Garanto-vos que o motivo da discussão é automaticamente esquecido. Habilitam-se é a levar um murro se a pessoa do outro lado for daquelas de ter os nervos em franja.

2. Esta apresenta resultados satisfatórios quando a discussão é unilateral. Ou seja, quando há alguém que está a dar na cabeça de alguém. Neste caso, basta sorrir e concordar. Aconselho-vos a desligar do que quer que seja que vos estão a dizer, principalmente se acharem que a pessoa se está a repetir ou não tem tanta razão quanto isso. Com sorte, irritam o/a Sr/a. Sermão. Senão, o/a respectivo/a Sr/a. Sermão fica contente porque acha que está a ser ouvido.

3. Bem, eu diria que esta dica é a cereja no topo do bolo. Mas digamos que é uma arma, erm... pouco civilizada? Se tiverem muita confiança com uma pessoa e estão a debater um assunto, sei lá, com quem a Kate deve ficar no Lost, e por acaso até sentem que os argumentos contrários vos estão a dar grande baile... Pah, excelente altura para soltarem descontraidamente, assim como quem não quer a coisa, um "Tens um pedaço de comida entre os dentes". Tiro e queda. Ninguém põe vitórias em discussões acima do constrangimento social.

Com certeza haverá mais, mas de momento é o que me ocorre. Quem sabe não vos safará para a próxima?

MJNuts

8 comments:

Ana Pires said...

Boas dicas, embora manter a expressão séria possa ser um pouco difícil, especialmente ao ver a reacção da pessoa.

"Tens um pedaço de comida entre os dentes"
LOL, realmente, essa arruína a confiança de qualquer pessoa xD

To said...

Eu costumo resolver com um "Olha ali o João!". E depois fujo.

Rita said...

Expressao seria cmg eh perfeitamente impossivel... eu diria k 80% tem uma necessidade horrivelmente forte de responder quando provocados directamente.
Confesso que gosto de ganhar as discussoes sem margem pa duvida xD ptt n uso os truques alias porque ja tentaram quase tds cmg e n se safam xD
Quando for grande quero ser uma discutidora nata!

João Martins said...

Eu gosto de levantar a sobrancelha e dizer: "Isso é o que tu pensas..."
Dar um abracinho também resulta na maioria das vezes. Mas tem de se saber dar. Deve-se colocar os braços bem à volta da outra pessoa e segurar com força porque ela vai de certeza tentar soltar-se.

Morcegos no Sótão said...

Eu mantenho que a do pedaço de comida entre os dentes corta todo e qualquer efeito de discussão, porque é preciso ter uma auto-confiança desmesurada e um descaramento descomunal para se continuar a falar eloquentemente quando paira sobre a pessoa a ameaça possivelmente verdadeira de comida entre os dentes... Mas quem sou eu?xD

Oh Pulga, contigo ou se sabe o que se está a dizer ou não vale a pena!LOL

Essa do abraço... Sempre associei a momentos pesados emocionalmente, a envolverem choros e coisas do género. =P Mas também dá quando a pessoa está só um pedacinho chateada. Estilo "there, there". lol

MJNuts

Guess said...

Eu com a Rita (Pulga) utilizo a técnica da confirmação, dizendo que sim a tudo o que ela me diz xD

R - Odeio essa tua forma de quereres que façam tudo por ti!

Me - Sim, dá sempre mais jeito =)

R - Ai, pah, és tão estúpido!

Me - Sim, creio que esse também é um defeito meu =)


Por esta altura já ela se apercebeu que não vale a pena! xD

Mas concordo contigo quando dizes que há sempre aquela força incontrolável de responder. Eu só não respondo quando já ultrapassei aquela raiava explosiva, alcançando o "ignorar" :P

Essa do abraço resulta! xD Mas não gosto quando fazes a mim!

Twin said...

Ora a da comida é realmente mt boa! Corta tudo! lol mas pronto a Maria já está avisada de que NÃO ME PODE FAZER ISSO NUNCA, mesmo que tenha efectivamente comida entre os dentes. Se tiver ela que espere que eu acabe de argumentar, pq n há nada mais irritante do que ser interrompido quando se está a argumentar com quem é que a Kate deve ficar em Lost. E tenho dito!

Morcegos no Sótão said...

Obviamente que é o Sawyer, com ou sem comida nos dentes. Não interessa que em termos de história, haja quem ACHE que fica com o Jack, com o Sawyer é que ela fica bonita!!

MJNuts